Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

terça-feira, junho 27

Prendas prendas prendas

E com isto, acreditam que já ando a ver prendas de Natal? 😆


A sério, ainda não comprei nenhuma, porque aproveito que estão aí os saldos, mas já ando a ver e a magicar o que oferecer.
Aliás, eu para algumas pessoas já está mais que decidido! 😁


Chamem-me o que quiserem, mas cada vez adoro mais esta antecipação.
Ora porque tenho mais tempo para pensar, ora porque acabo por poupar sempre, ora porque não deixo tudo para o fim e não tenho depois que andar a correr ou a comprar coisas sem nexo!

Adoro também, como já disse, ter prendas em casa para qualquer situação.
Até aquelas que vos vou indicando às Quintas-feira, se sei que posso comprar e consigo facilmente dar uma prenda a alguém, em caso assim de necessidade para ontem, tenho sempre um mimo para dar.
Adoro.

Não vos falei, por exemplo, no vinho do Porto a metade do preço? Por acaso não comprei nenhum, mas é que já tinha mesmo destino para ele.
Caso não calhassem os planos como pensei, já tinha uma prenda para algum homem.
E é assim meus caros 😊


segunda-feira, junho 26

Separação de bens - Opinião

Na semana passada falei das questões "legais" da comunhão de adquiridos e da separação de bens.

Hoje vou dar a minha opinião.

Claro que não vinha falar neste assunto se não tivesse pensado nele.
Aliás, o regime escolhido por mim, muito antes de saber sequer que se pagava por ele, foi a separação de bens.
Para o namorado não faz sentido, pois não temos nada de riquezas, mas para mim, faz todo o sentido.
Claro que estou a pensar em mim mas é óbvio que saímos os dois protegidos.


Se a única pessoa que achou super bem e a melhor escolha foi mesmo a advogada, do resto do pessoal só recebi "críticas". Porque não és rica e não tens nada e portanto isso não tem lógica, porque o casamento pressupõe a partilha de tudo, blá blá blá.

Ora, escolher separação de bens não quer dizer que não amemos a pessoa.
Escolher separação de bens não quer dizer que já estejamos a pensar em separar.
Escolher separação de bens, só "funciona" se houver separação, porque as obrigações enquanto casados (sustentar, cuidar, etc) continuam a ser as mesmas.

Se não, pensemos de novo... Quantas pessoas conhecem que casaram com o regime normal de comunhão de adquiridos e já estão separados? Por esta lógica, não deviam continuar juntos? Afinal a comunhão de adquiridos é que significa amor, partilha...
Quantas pessoas conhecem que não estão arrependidas de ter casado, de ter casado com comunhão de bens porque "aquele filho da mãe" arranjou outra e agora leva-me metade das coisas?
Quantas pessoas conhecem que, com a comunhão de adquiridos, também adquiriram dívidas?

Pois é.
Pode não ser romântico pensar assim, mas é prático. É responsável. É inteligente.
Muita gente por não pensar assim antes de casar é que tem arrependimentos depois.
Como dei o exemplo do print da conta antes de casar, para provar que antes do casamento, aqueles 20mil€ eram só meus! Ah não nos vamos separar nunca, nem penso nisso. Chega a separação, se chegar e ai que raiva, levou tudo!

Poupam chatices, poupam cabelos brancos e poupam tempo.

Mais uma vez e isto vale o que vale, é a minha opinião.
Eu escolhi casar com separação de bens e o namorado foi por arrasto. Já assinámos os papéis e não estou arrependida.

O desejo é que corra tudo bem.
Já lhe disse, visto que ele nunca quis separação de bens, que da minha parte, nunca lhe vai faltar nada. Enquanto casados, as nossas obrigações são iguais às dos outros.


sábado, junho 24

Oh que bom, não a meio, está tipo a começar

É, hoje é Sábado e cá estamos no Porto.

Ver se vou "apontando" tudo o que vos quero contar e ver se não me esqueço das fotos 😛

E que bom que é, agarrar e saber que ainda vou no início das mini férias.
Só volto ao trabalho Quinta.

Por aí divirtam-se, aproveitem o fim-de-semana e cá estaremos talvez 2ª feira com novidades mas com certeza absoluta que se eu não estiver cá há um post agendado!


sexta-feira, junho 23

S. João dá cá um balão e tira-me os nervos

Ora que coloquei hoje, 2ª, 3ª e 4ª de férias para poder, mais o namorado, ir ao Porto para passarmos o nosso 1º S. João. Nem eu nem ele conhecemos a festa e a mana insistiu para irmos lá.

Ontem saí do trabalho e o namorado já estava com as minhas malas à minha espera para se seguir logo viagem.
Fizemos uma primeira paragem em Leiria e vamos aqui passar a noite. Aproveitamos e entregamos mais um convite e quando for de dia saímos então em direcção ao Porto.

Juntando o útil ao agradável, entregamos um convite, mato saudades dos meus meninos e o namorado não tem que conduzir 300km de uma vez.

Continuando...

A mana disse logo para eu ter calma porque vai ser mesmo muitaaaa gente na festa. Já estou a ver o meu panico. Encafuada no meio de uma montanha de gente, imenso barulho e alhos porros nas cabeças de toda a gente. Acho que ainda vou andar à chapada. 😆



Por um lado estou mesmo curiosa, por outro, tenho algum receio. Mas vamo que vamo.

E mais uma vez, claro que vamos juntar o útil ao agradável.
Vemos a festa que nunca a vimos, eu mato as saudades da mana e vamos falar com o fotografo do casamento 😀Ia na ideia de fazer mais uma tatoo mas como tem estado tanto calor, não me aguento sem ir à praia 😝

Claro que queremos os dois descansar, passear e aproveitar estes dias de mini férias 😀

Por aí divirtam-se. Deixarei post's agendados como já é costume.
Segunda à noite conto já cá estar.


quinta-feira, junho 22

Ideias para prendas #29

E esta semana temos....

Lidl:

Cápsulas Bicafé que dão para a Dolce Gusto a 2,79€;


Pingo Doce:

Velas Glade a metade do preço;
Aparelhos e recargas duplas Automatic e Sense&Spray;
Sanduicheira a metade do preço;
Bons vinhos a partir de 50% de desconto até mais de 65% de desconto;

Continente:

Alguns brinquedos com 50% de desconto;
Alguns livros com 50% de desconto;
Aparelhos e recargas duplas Automatic e Sense&Spray;
Vinhos a partir de 50% de desconto até 65% de desconto;
Vinho do Porto Cruz a metade do preço 12,49€;


Oh por favor, cala-te

Lembram-se da minha colega do departamento que foi fazer queixa de mim à minha directora?

Ora que essa mesmo, à qual já mal falo a não ser mesmo de trabalho, não se cala.

Nunca vi ninguém falar tanto.
Visto nós agora estarmos bastante mal as duas, é claro que ela abre a boca e a mim sobem-se-me os calores todos.

Ela fala, ela canta super mal e já toda a gente está farta dela, mas ninguém lhe diz nada. Jesus!


Pior, já está tudo tão farto dela, que mal lhe dirigem mesmo a palavra. Afinal não sou só eu com quem ela "mexe"...
Apenas um colega fala com ela e ela agarrou-se a isso e estão constantemente em amena cavaqueira.
E o trabalho constantemente a ficar em atraso.

E quando se faz de vítima? Aff... 😒
"Ah vou-me calar para não incomodar os colegas" atirou ela... Não recebeu nenhuma resposta claro está. Anda toda a gente doida mesmo é para que ela se cale.

Que inferno de mulher.

Até a minha directora está farta dela, do desempenho dela e da postura dela mas como a dita é mulher de um director.... Lá estão as costas quentes e sempre a ver até onde pode esticar a corda.

Aguenta coração.


quarta-feira, junho 21

Separação de bens

Este assunto é demasiado sério.
Decidi fazer este post pois sinto que existe muito pouca informação por essa internet fora.

Nesta 1ª fase, vou falar das questões legais.

O regime normal do casamento, à data, é a comunhão de bens, isto é, tudo adquirido antes do casamento é de cada um, tudo adquirido depois do casamento passa a ser dos dois.
Heranças não entram nesta divisão, visto que consideram oficialmente um bem já adquirido antes casamento.
Em caso de separação, tem que ser tudo divido. Fazem contas, somam tudo e dividem, para os que se dão melhor mesmo com a separação, cada um escolhe +/- o que quer e não há chatices.


Separação de bens. É um regime que, à data, tem que ser pedido no dia em que assinam os papéis na Conservatória. À data também, tem um valor acrescido, para além dos 200€ do casamento, de mais 100€.
Em caso de divórcio, o que é de cada um, pertence a cada um. Não misturam nada, nem o que foi adquirido depois do casamento.

Resumindo assim, é tudo muito giro e até parece bem básico e, a querer poupar dinheiro, a comunhão de bens é inofensiva.

Até que, para pessoas como eu que estão sempre a pensar em tudo, a coisa não é bem assim.

Vamos a exemplos práticos.


Pensando sempre em mim, para ser apenas mais fácil, comecemos:

Eu tenho uma conta aberta desde bebé com 20mil€ por exemplo. Só em meu nome. Essa conta, à data do casamento, tem 20mil€.
Passados 10 anos, tenho 22mil€ e infelizmente o marido pede o divórcio.
Com a comunhão de bens, o meu marido traidor tem direito a metade dos 22mil€. 11 mil€ portanto.
Com a separação de bens, não tem direito a nada.

Pensemos todos juntos... Eu juntei 20mil€ com muito suor e privações. Ele do nada vem e limpa-me 11mil€.
Como me safar desta, já que estava tão apaixonada e casei com comunhão de bens?
Ora das duas uma. Aceitam o vosso destino e dizem adeus ao dinheiro ou........ tentam provar que à data do casamento já tinham esse dinheiro e portanto, é única e exclusivamente vosso.
Percebem onde quero chegar?

Mais uma vez, isto é tudo muito giro e ninguém pensa no amanhã.
Claro que não se vai para o casamento a pensar que se vão separar e que vai correr mal mas... e se?? Porque não nos prevenimos, se temos essa oportunidade?

Basicamente, com a comunhão de bens, ou um dia antes tiram um print ao saldo da vossa conta e guardam bem guardadinho para mostrarem (se se separarem) que antes de casarem já tinham 20mil€ ou então, o dinheiro é a dividir com o traidor.

Em relação à casa, como normalmente é comprada em regime de copropriedade é sempre a dividir 50/50.

Mais um exemplo:

Têm conta poupança num banco à 20 anos. Têm lá 5mil€. Esse banco não está a dar grandes juros e portanto vão procurar um com melhores condições. Já se encontram casados e, toda a gente sabe que antes do casamento vocês já tinham aquele dinheiro.
A partir do momento em que cancelam essa conta poupança e criam uma nova, com a comunhão de adquiridos, o/a vosso/a marido/esposa passa a ter direito a 50% desse valor.
Com a separação de bens, não.
O mesmo acontece com, por exemplo, certificados de aforro ou certificados do tesouro, que como vencem ao fim de um X de anos, assim que constituem um novo, o que antes era só vosso, para a ser também por direito, em caso de separação, do cônjuge casados com comunhão de adquiridos.

Acho que já chegaram onde eu queria chegar.

Claro que estes casos funcionam apenas quando há separação efectiva.

Atenção! Mesmo com a separação de bens, quando há filhos, as coisas mudam um bocado de figura.
Atenção 2! Mesmo com separação de bens, se abrirem uma conta poupança em vosso nome e o 2º titular for o cônjuge, ele/a automaticamente passa a ter direito a metade do valor que lá cair.

Posso dizer que esta informação eu já desconfiava dela mas, pelo sim pelo não, informei-me com uma advogada e tudo o que eu sempre "desconfiei" confirmou-se. Senti-me inteligente por momentos 😜

Posso também acrescentar que em caso de morte, mesmo com a separação de bens, o/a marido/mulher continua a ser o/a herdeiro/a universal. Depois vêm os filhos e se não houverem filhos, os pais e por aí fora.

Não têm de quê. E nada de criticar. Cada um sabe da sua vida.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...