Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

quarta-feira, fevereiro 19

Porra que não há pachorra!

A sério, esta foto é mesmo tãaaao indicada!



Juro-vos, não aguento mesmo.

Todos sabem que eu e o namorado passamos os fins-de-semana na casa da avó dele.
Um anexo, mesmo ao pé da casa da avó.
Tudo muito bem se não se fossem lá enfiar!

Eu já sabia desde o início que isto ia acontecer e é uma das milhentas razões que não quero ir para lá, mas para o namorado, é normal!
Mas se fossemos para lá morar mesmo, que elas já não iam para lá... Pois sim!

Eu tinha um cacto, bem pequenino, com uma areiazita... Partiram-me aquilo!
Limpa-se a casa sempre ao Domingo, só estavamos lá na loucura Sexta e Sábado a dormir, chego à Sexta da outra semana e etá tudo cagado.
Arrumo a merda das cadeiras, quando chego, tenho cadeiras em todo o lado.

Já me ando a passar e sempre me passei aliás.
Não tenho privacidade nenhuma mas mais uma vez, o namorado acha que sim.

A última coisa que aconteceu, foi a gota de água, mas claro, o namorado cala-se!
Chegamos lá a casa e vemos que nos deitaram fora uma esfregona NOVA! Tinha a merda da esfregona nova, gira e pimbas, por obra e graça de Deus, deitaram-na fora.
Não soube porquê e claro que o namorado também não perguntou.

Depois, no dia a seguir, "lembrou-se" de me dizer que a mãe dele tinha ido lá a casa e com o pano da loiça.... foi-se pôr a limpar a merda das portas! Senhores, com o pano da loiça!
Eu passei-me da cabeça e eu juro-vos, qualquer dia corro tudo às caralhadas.
Não há paciência!

Vai-se lá pôr a fazer merdas, vai para lá limpar e nem sabe o que faz. Não estou para isto, Deus me livre!
Bem sei que não se pagaria renda e a casa com obras talvez ficasse mais habitável, mas na na na! A minha saúde mental está PRIMEIRO.

Uma outra vez, até a merda do papel da reciclagem teve que ir deitar fora!

Mas isto não é tudo... A mãe dele tem a mania de deitar fudo fora. O que é dela e o que não é! Sem saber a importância que têm as coisas.
1º deitou um frapê fora. Da martini, giro e caro! Tinhamos comprado com uma garrafa de espumante... "ah e tal eu pensava que era uma caixa e deitei fora". Pensou uma merda, porque se pensasse, nem mexia.
Depois, pouco tempo depois, deitou O MEU CANDEEIRO de lava fora. Emprestei ao namorado que ele adorava aquilo e levei para casa dele. Ela deitou aquilo fora porque não fazia bolinhas! Puta que a pariu, claro que não faz bolinhas! Se está desligado...
Tinha sido comprado em Ceuta, pela minha avó, e ela sem saber de quem era sequer, sem ter autorização, deitou aquilo fora!
Depois queria ir comprar um ao chinês.... Vaquinha! E o pai do namorado vira-se e tem o desplante de dizer: " achas, não é preciso, aquilo não tem importância"... Matei-o umas 50 vezes na minha cabeça.

Juro-vos, dá vontade de lhe dar dois murros. Eu sempre preferi manter a distância e é assim que vai continuar. Não os suporto!
Imaginem agora se falássemos muito.
Para mim, é bom dia e boa tarde e chega. Até já é demais. É que nem oportunidade de a conhecer melhor eu vou dar. E já a vejo à 9 anos quase!

Claro, mas para o namorado isto tudo passa se nós formos lá para casa viver definitivamente, e que ela não se mete lá mais e blá blá.... Imagino, imagino!

Mas já sei também. Tenho uma longa luta pela frente e muito me vou chatear com o namorado porque ele simplesmente não entende.

Mas não vou, não vou e não vou!
Já estou como o outro, que para dar mais êfase à coisa diz: Nem fodendo!












P.S: No meio disto tudo, espero mesmo nunca ter que ir para lá... É que aturar a mãezinha, a avózinha e a priminha, não há cu que aguente!
E pior, não se pode mudar as trancas à casa! Jesusssss!

13 comentários:

Portuguesinha disse...

Olha, tentei ler-te até ao fim. Mas não consegui. Depois de te ler a chamar vaquinha à mãe do teu amado cansei de tanta ofensa. Exageras. Claro, agora não percebes isso. É preciso estar do lado de fora e tu provavelmente escreveste este texto num momento de desabafo em que deitaste cá para fora tudo o que tinhas vindo a acumular.

Mas do que li, não vi nada de peso que mereça tanta perda do teu tempo e da tua qualidade de vida a preocupares-te com isso. Tem também partes que não mencionas que certamente dariam um entendimento mais global da história toda. Mas de tudo de mau que te podia acontecer, isso é Mínimo. Não que te retire a legitimidade de te sentires assim, mas é um exagero e irás um dia perceber. Ao invés de falares com o namorado, fala com as pessoas, na boa, na hora. Mesmo que seja um tanto alterada. Não guardes.

Um pano da louça usado para limpeza? Isso é o fim do mundo? Não. OK, o candeeiro de lava é um objecto sentimental. Mas a mãe ou avó do teu namorado não sabia que era teu, o que não desculpa deitarem fora mesmo que achassem que era do filho/neto. Erraram. Mas também prontificaram-se a corrigir o erro da única forma que podiam: comprar-te outro.

Claro que chateia. Existe sempre uma intromissão no espaço pessoal que é desconfortável. Mas supostamente temos de viver em comunidade, em família. Enquanto os problemas forem uma esfregona, um pano, uma sujeira nem é assim tão grave. Tenta por em perspectiva.

É simpático disponibilizarem a casa familiar para vocês - se é esse o caso porque sinto que faltam detalhes na tua narrativa para entender melhor o todo. E quando isso acontece é comum sentir que as pessoas por vezes ultrapassam fronteiras. Mas se essa casinha, esse refúgio for num meio tipo "aldeia" em que todos estão acostumados a entrar nas casas uns dos outros e assim o aprenderam a fazer a vida toda, desde que entre amigos, então não deves mesmo levar tão a peito. Também existem vantagens nesse tipo de convivência. Podes muitas vezes contar com as pessoas para certas comodidades. E pelo que entendi a casa é só para vocês que a usam a casa 5 dias mas a mãe e avó do teu namorado vão limpá-la na vossa ausência? Vocês os dois podem fazê-lo. Em cinco dias nenhuma porcaria engrossa. E assim preservas os teus panos.

Estou com o teu namorado :D
Não é razão para tanto :D
Mas entendo-te.

Maria disse...

Hummmm...não me parece que o vosso futuro feliz passe por essa casa:))). Ao contrário do que o teu namorado pensa...as coisas só iam piorar!
Bjs
Maria

PINTA ROXA disse...

Sabes quando contas estas coisa fazes-me lembrar tanto uma pessoa....
euzinha.
Há anos morava eu numa casa que a minha sogra tinha feito para o filho ao lado da dela. A casa não era nossa era Dela, por isso o que lá estava dentro tambem...
Um dia chego a casa e o MEU aspirador estava na rua, a srª, tinha-o ido buscar para aspirar o carro e lá ficou ele espalhado no quintal. De nariz torcido como sou não fui de modas, parti-o. Acabou, eu não aspirei mais a casa mas ela tambem não, sei como te sentes á menina se sei, chega a uma altura em que nos passamos completamente.
beijos e força na paciência :)

ádescávir disse...

Eu passava-me. Essa do candeeiro era coisa para me deixar a chorar valentemente. Há pessoas que não sabem viver em comunidade, na selva seria o sitio indicado.

Sónia TM disse...

Por acaso gosto muito da minha :)

Sónia
Taras e Manias

Opinante disse...

Pois eu cá li tudo e compreendo a tua frustração! É certo que o vosso futuro não passa por estarem todos perto, por bem da vossa relação...

conteudovazio disse...

Nem sei o que te dizer querida.. imagino a frustração.
Viver num anexo com familiares mesmo ali não deve ser mesmo nada bom!
A boa intenção é o que se tenta, mas acaba-se por ser totalmente o contrário.
Respira fundo. E fala abertamente... diz que não é necessário, que dás conta do recado, agradeces, mas que deixem estar.
E quanto ao teu namorado.. bom.. é familia, há coisas que não vemos da mesma forma quando o sangue fala mais alto.
Ele há-de perceber que o melhor quando juntarem os trapinhos é irem morar noutro sitio :)

Bejinhos querida!! breath! =)

conteudovazio disse...

Nem sei o que te dizer querida.. imagino a frustração.
Viver num anexo com familiares mesmo ali não deve ser mesmo nada bom!
A boa intenção é o que se tenta, mas acaba-se por ser totalmente o contrário.
Respira fundo. E fala abertamente... diz que não é necessário, que dás conta do recado, agradeces, mas que deixem estar.
E quanto ao teu namorado.. bom.. é familia, há coisas que não vemos da mesma forma quando o sangue fala mais alto.
Ele há-de perceber que o melhor quando juntarem os trapinhos é irem morar noutro sitio :)

Bejinhos querida!! breath! =)

Pretty in Pink disse...

Ai pa fiquei com uns nervos agora! Então mas espera lá, voces ficam num anexo da casa dela né? Entao se forem pra la será que elas nao deixam mesmo de vos chatear e sera que não ficas mais leve dessa situaçao ai em casa? Mas pronto se ainda nao o fizeste é porque possivelmente nao...Eu nao sei sinceramente o que fazia no teu lugar mas ja me tinha passo À GRANDE!!!!!!!!

Beijinho*

Pedro disse...

Como eu te entendo...
A minha sogra é bastante especial também e acredita, há coisas bem piores, como proibir-te de ver o teu namorado porque "não estás quase nunca em casa".
Beijinhos*
http://pedronopaisdasmaravilhas.blogspot.com.es/

Marisa Reis disse...

Como te entendo... pode haver alguma sogra boa, mas até hoje só conheci a da minha tia e já tenho quase 36 anos....

Marisa Reis disse...

E " ainda a procissão vai no adro" sogras boas devem ser como as notas de 500€ que já me passaram pelas mãos....rarasa....rarissimas.

Não deixes que te continuem a pisar agora senão um dia és o capacho deles

XL disse...

LOL, deu para rir.Good Luck

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...