Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

sexta-feira, dezembro 26

Do Natal

E antes de falar em prendas, fica para a semana, vou falar +/- do que se passou.

Como sabem, foi realmente o 1º Natal sem a minha avó.


Acordei dia 24 de manhã para começar a fazer os doces e vou a casa do meu avô.
O que vi, deixou-me de rastos. O meu avô a tentar pôr a mesa, com a únicas coisas que tinha encontrado, uma torta de cenoura e uma garrafa de vinho do porto e a chorar, a chorar imenso.
Eu deparo-me com "aquilo" e digo-lhe para ter calma que eu ainda não tinha feito doces nenhuns, mas que ia fazer e depois púnhamos a mesa lá, como sempre pusemos.
O meu avô chorava mas chorava. Parecia igual à noite em que lhe dissemos que a minha avó não tinha resistido ao cancro.

A minha mãe entretanto chega lá a casa e vê-me a chorar também. Pergunta-me o que se passa e eu disse-lhe. Ela foi falar com ele e disse-lhe o mesmo, mas não ponha já a mesa que a Cláudia ainda não fez os bolos todos.
Olhem, mandou com uma garrafa para a mesa, saiu a correr da sala e bateu com uma porta. Depois quase no chão, lá estava ele, a chorar.
Juro-vos, doeu tanto! =(

Mas como eu não queria nada daquilo, lá tentei me recompor e fui falar com ele, tal e qual como se fala com uma criança quando estamos zangados.
Agarrei-lhe num braço e trouxe-o até à sala e ele sempre a dizer larga-me e larga-me e não quero nada e sempre a chorar.

Aquilo deu cabo de mim, a sério que deu.

Para ajudar, ao acordar, a minha mãe também não estava a sentir-se bem. Estava sempre com as mãos no coração e eu ainda lhe perguntei se queria ir ao hospital. Mas não fomos, ela disse que já passava, como sempre.

Almocei com o meu avô e tudo numa boa.

Voltou a ficar tudo pior quando ele tinha que vir cá a casa jantar. Ele após uma discussão com o meu pai, há 2 ou 3 meses, que nunca mais cá entrou em casa e ele sempre disse que nunca mais entrava, pois a casa não era dele e não queria ver o meu pai.
Calhava bem, o meu pai tinha ido trabalhar e portanto, poderia jantar connosco.

Ele veio, mas passou a ceia toda a olhar para o relógio e às 21h foi-se embora.
Passei-me da cabeça e fui falar com ele.
Apanhei-o de novo a chorar em casa, sentado no sofá, a dizer que a minha avó lhe fazia falta.
E eu disse-lhe que ele também nos fazia falta e que mesmo que o meu pai chegasse e ele estivesse cá em casa, que o meu pai nunca o ia meter na rua.....
E ele chorava e eu chorava e refilei tanto mas tanto...

Senti-me cansada.
Não estava ninguém feliz.

Mas eu não estava disposta a passar o 1º Natal sem a minha avó e cada um na sua casa, sendo passado sem o meu único avô!
Refilei, fiz-lhe ver as coisas e após muitos nervos (que até deixei de sentir os meus braços e de os mexer) e choros, que ele disse que não queria que eu chorasse nem a minha mãe, ele seguiu-me e veio cá para casa.
Comeu, contou histórias da terra dele e abriu as prendas.

Saiu cá de casa era 1h da manhã.

Bastou ele vir para cá, que nos acalmámos todos.

A sério, foi uma noite muito esquisita.
Eu própria lhe disse que não havia um Natal onde não houvesse stresses cá em casa mas que pelo menos neste, onde a minha avó não estava, para estarmos todos juntos!

Envelheci 50 anos com tantos nervos... Mas no fim valeu a pena e tenho a certeza absoluta, que ele realmente só me ouve a mim.


6 comentários:

conteudovazio disse...

oh querida..
fiquei com o coração pequenino ao ler o teu natal! :(

Só te posso dar os parabéns pelo teu esforço e dedicação! E desejar-te muita força!


beijinhos querida!!

Coisas que Faço disse...

Oh... Minha querida, nem sei o que dizer :(
A sério, queria consolar-te um bocadinho, mas duvido que isso seja possível... Limito-me a deixar-te um grande beijinho e a dizer que admiro a tua força e o facto de, nomeio de tanto sofrimento, não te teres deixado ir abaixo.

Bj enooooorme!!

Opinante disse...

É sempre muito complicado quando sentimos a falta de quem gostamos...

Tal mãe, tal filha disse...

Fico feliz que tudo tenha acabado bem. Não desistas do teu avô, por mais que te canses de repetir, de insistir, por mais que ele diga que não, que chore ou bata com a porta. Ele ouve-te e admira-te e acredita que a tua avó se orgulhosa de ti!

Beijos/ A Mãe

PINTA ROXA disse...

Pois.. deve ser muito dificil para todos, mas para ele....
beijinhos bom domingo

ádescávir disse...

O Natal é uma época muito complicada =/ Não desistas de lutar por ele. Ele ouve-te, só tens que ter alguma paciência =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...