Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

terça-feira, maio 31

Vida

No outro dia quando estava na conversa com a nossa amiga Ádescávir, estávamos as duas nas lamentações e chegámos à brilhante conclusão, que já nós sabíamos, mas tornou-se mais real porque falámos nela, a vida passa a correr e com a chegada da "adultice", estamos constantemente a ter que fazer escolhas.

Ora para começar e porque não somos ricas, temos que trabalhar.
Logo aqui, perde-se imenso "tempo" com deslocações, trabalhar mesmo e tudo o que implica.

1º ponto, para termos dinheiro precisamos de trabalhar.


Ora depois como se está a trabalhar, uma pessoa acorda tão cedo (eu por exemplo, 6h20/6h30 e já estou acordada) e com isto vem o cansaço.

Eu para descansar, tenho que vir para casa. Muitas vezes nem tenho vontade de fazer nada.

Se eu venho para casa descansar, não posso ir sair ou divertir-me, porque não me apetece. Estou cansada.

2º ponto, ao trabalhar para ter dinheiro, acabamos por ficar cansadas e com sono e não temos vontade de fazer nada.


Mas, como a vida não pode ser só casa-trabalho-casa, agarramos um dia e em vez de virmos descansar, vamos sair para nos divertirmos.
Ora, isso implica, por exemplo, descansar menos.
Perder horas de sono e quase sempre, gastar dinheiro.

3º ponto, se sairmos, descansamos menos e gastamos dinheiro.


Por fim há mais um pequeno pormenor.
Se ficarmos em casa e nada fizermos porque estamos cansadas ou se saímos porque a vida não é só trabalhar e dormir, acaba por ficar uma coisa para trás.
A limpeza da casa.

4º ponto, se ficarmos em casa para descansar ou se decidirmos sair, as limpezas caiem no esquecimento.



Resumindo e baralhando:

Nós trabalhamos.
Até queremos ir sair, mas estamos sempre mortas de cansaço. Mas às vezes lá tem que ser e é necessário. Faz bem e sabe pela vida.
Mas para sairmos, a casa fica por limpar e as coisas por fazer, descansa-se menos ou pior, não se está tempo de qualidade com os respectivos.
Para se ficar em casa, começamos a dar em malucas porque dormimos e ficam as coisas por fazer, ou ocupamos as nossas horas em limpezas e começamos a sentir falta dos amigos e passamos a ser escravas da casa.
Sair de casa implica quase sempre gastar dinheiro.

E é isto.

Passamos a vida a ter que fazer escolhas. Claro que a vida é isso mesmo, mas não devíamos viver em vez de sobreviver?
Eu ainda vivo com os meus pais mas já mal tenho tempo para mim, quanto mais com uma casa só minha.

Claro que com organização tudo se consegue, mas há sempre algo que fica para trás.
Há sempre algo que temos que prescindir.

Já pensaram nisso?


6 comentários:

ádescávir disse...

Vais deixar a internet baralhada xD

Zulmira Romariz disse...

É assim mesmo Claudia, trabalho, familia, cansaço e pouco mais, bjs amiga

Siga em frente! disse...

Com certeza, Cláudia, é o preço que pagamos por crescermos, amadurecermos. Mas nunca esqueça "ser adulto não significa, perder o prazer de viver".
Uma boa noite, agradeço a visita no blog.
Beijinhos!!
http://kellyrlopes2015.blogspot.com.br/

Patrícia S. disse...

Como contei há uns dias no meu blog, tinha numa professora na faculdade que dizia que, naquela altura, tínhamos tempo mas não tínhamos dinheiro; quando fossemos mais crescidos, íamos ter dinheiro mas ia faltar tempo para o gastar. :p

Anónimo disse...

E não existem crianças, imagina como é se existessem.
Filomena Lopes

Marisa Reis disse...

Penso nisso muitas vezes, especialmente porque com crianças o trabalho em casa duplica... e se trabalhamos longe de casa são horas que se perdem em viagens... enfim entramos em loop...casa-trabalho-casa-actividades dos miúdos-casa....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...