Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

sexta-feira, abril 25

Do 25 de Abril

Claro que não poderia deixar passar a data em branco...


Não tinha noção de umas coisas, sabia outras.


Só pelas várias coisas que li...

"A mulher praticamente não tinha direitos. Se se tratasse de uma mulher casada, os direitos eram exercidos pelo chefe de família. Aliás, a expressão do pai de família, que normalmente era benfiquista, deriva daí e do entendimento que era voz comum nessa altura", realça.
A lei portuguesa designava o marido como chefe de família, donde resultava uma série de incapacidades para a mulher casada, contrariamente à mulher solteira, que era considerada cidadã de plenos direitos: "a mulher não tinha direito de voto, a mulher não tinha possibilidade de exercer nenhum cargo político, e, mesmo em termos da família, a mulher não tinha os mesmos direitos na educação dos filhos", diz a magistrada.
Nesta altura, a Lei atribuía à mulher casada uma função específica: o governo doméstico, o que se traduzia pela imposição dos trabalhos domésticos como obrigação. E os poderes especiais do pai e da mãe em relação ao filho resultavam na sobrevalorização do pai e subalternidade da mãe, que, como recomendava a lei, apenas devia ser «ouvida».
Outro dos problemas que a mulher enfrentava na altura acontecia nas situações de reconstituição da família. O divórcio era proibido, devido ao acordo estabelecido com a Igreja Católica na Concordata de 1944, pelo que todas as crianças nascidas de uma nova relação, posterior ao primeiro casamento, eram consideradas ilegítimas. E havia duas alternativas no acto do registo: a mulher ou dava à criança o nome do marido anterior ou assumia o estatuto de "mãe incógnita". O que não podia era dar o seu nome e o do marido actual." (Não me lembro do site onde tirei, perdões)

...dou graças a Deus por se ter dado o 25 de Abril.
Nunca tive dúvidas que era algo bom (em parte há coisas que fazem falta, mas isso é outra história) mas depois de ler várias coisas, as tais que eu ainda não tinha conhecimento, ainda bem que se deu isto tudo.

Sinceramente, estamos a precisar de outro 25 de Abril, mas por outras razões.


2 comentários:

Maria disse...

Não podemos deixar que destruam completamente as conquistas de Abril!!!
Bjs
maria

Marisa Reis disse...

Vantagens do antes:

Podias andar na rua à vontade que não tinhas medo de ser assaltada, ou das crianças serem raptadas ou violentadas, as casas podiam estar de portas abertas que não havia ladrões, as taxas de juro para depósitos a prazo eram de 28% e não de 0,5% como agora, etc

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...